Mato Grosso, Domingo, 25 de Agosto de 2019
Logo NoticiaNET
Informe Publicitário
Movimento Mato Grosso Forte

Entidades do agro manifestam apoio ao Movimento Mato Grosso Forte

Movimento vai ocorrer na próxima quarta-feira (15/5

Da Redação

10/05/2019 às 16:17

Entidades do agro manifestam apoio ao Movimento Mato Grosso Forte

A Aprosoja Brasil e entidades do setor produtivo rural assinaram uma nota de apoio conjunta ao Movimento Mato Grosso Forte. O ato que dá início Movimento vai ocorrer na próxima quarta-feira (15/5), em frente à sede da Associação dos Produtores de Soja e Milho de Mato Grosso (Aprosoja MT), em Cuiabá.

Promovido pela Aprosoja MT, o Movimento Mato Grosso Forte tem o objetivo de alertar a população sobre os impactos que a taxação das cadeias produtivas causam a toda a sociedade e cobrar do poder público mais eficiência e transparência na aplicação dos recursos públicos.

Nota de Apoio de Entidades do Agro ao “Movimento Mato Grosso Forte”

Brasília, 09/05/2019

Entidades do setor produtivo rural contrárias à taxação das cadeias produtivas convidam a sociedade, produtores rurais e setores ligados ao agronegócio a apoiarem o Movimento Mato Grosso Forte – Quem Paga Imposto Cobra Resultado. O objetivo é alertar a população sobre os impactos que a taxação das cadeias produtivas causam a toda a sociedade e cobrar do poder público mais eficiência e transparência na aplicação dos recursos públicos.

O ato acontecerá no dia 15 de maio, a partir das 8h, em frente à sede da Associação dos Produtores de Soja e Milho de Mato Grosso (Aprosoja MT), em Cuiabá.

O Movimento Mato Grosso Forte é uma bandeira legítima do setor que mais contribui com a geração de tributos, emprego e desenvolvimento e que está sendo sacrificado pela gestão ineficiente dos recursos públicos no Estado.

A taxação sobre a produção já afeta diretamente os produtores de grãos de Mato Grosso. No caso da soja e, principalmente, do milho, a produção ficará totalmente inviabilizada em decorrência da elevação da cobrança do Fundo Estadual de Transportes e Habitação (Fethab) sobre a produção.

As entidades supracitadas são contrárias à cobrança do Fethab e defendem que os recursos públicos arrecadados pelo Estado devem ser aplicados prioritariamente em bons serviços para a população nas áreas de educação, saúde, segurança e infraestrutura de transportes.

Taxar as cadeias produtivas do campo aumentará o desemprego, diminuirá o Produto Interno Bruto (PIB) e reduzirá o índice de Desenvolvimento Humano (IDH) e a qualidade de vida das pessoas. Por entenderem a importância do setor de grãos para a economia nacional e a relevância de Mato Grosso enquanto maior produtor de grãos e carnes do país, as entidades manifestam apoio ao Movimento Mato Grosso Forte. Porque quem paga tantos impostos tem o direito de cobrar resultados.

Subscrevem a nota:

Associação Brasileira dos Produtores de Soja – APROSOJA BRASIL

Associação Brasileira de Frigoríficos – ABRAFRIGO

Associação Brasileira das Indústrias de Óleos Vegetais – ABIOVE

Associação Brasileira dos Produtores de Milho – ABRAMILHO

Associação Brasileira do Agronegócio – ABAG

Associação Nacional dos Exportadores de Cereais – ANEC

Conselho dos Exportadores de Café do Brasil – CECAFÉ

Conselho Nacional do Café – CNC

Departamento do Agronegócio da Fiesp – DEAGRO

Federação da Agricultura do Estado de São Paulo – FAESP

Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de Mato Grosso – FAMATO

Sindicato Nacional da Indústria de Alimentação Animal – SINDIRAÇÕES

Sociedade Rural Brasileira – SRB

União Nacional do Etanol de Milho – UNEM