Dirceu é eleito presidente da Câmara de Lucas

O vereador Dirceu Cosma (PV) foi eleito agora a noite e vai comandar a Câmara Municipal no biênio 2019/2020. A eleição foi marcada por polêmica, já que o vereador Fernando Pael (DEM) foi inscrito nas duas chapas que concorriam à sucessão do vereador Jiloir Augusto Pelicioli, o Mano da Saúde (PDT).

Ao anunciar a votação, o presidente da Câmara leu a renúncia de Pael em concorrer pela chapa liderada por Airton Callai (PRB). Com isso, apenas a chapa liderada por Dirceu teve os quatro componentes conforme determina a lei e não houve tempo hábil para fazer sua substituição.

Por sugestão do vereador Marcos Paulista (PTB), a sessão foi suspensa e os vereadores passaram a discutir uma saída para o impasse.

Depois de alguns minutos de debate com a assessoria jurídica, os vereadores voltaram ao plenário e Mano abriu a votação nominal. Com 5 votos, Dirceu foi eleito presidente. Ele, Pael, como vice-presidente, Wagner Godoy, como primeiro secretário, e Marcia Pelicioli, como segunda secretária, serão empossados nos novos cargos a partir de 1º de janeiro de 2019. O quinto voto que garantiu a eleição foi de Mano da Saúde.

Airton Callai, Cristiani Dias (PT), Marcos Paulista e Jaime Floriano (PDT) se abstiveram de votar, assegurando apoio ao presidente eleito.

Logo após a sessão, Pael justificou a assinatura com as duas chapas. Segundo explicou, havia um combinado que sua participação na chapa seria confirmada apenas depois de uma consulta à sua base política. “Quando eu assinei a chapa solicitei ao presidente da chapa que não a protocolasse enquanto não desce o veredito final da minha decisão”, explicou Pael, acrescentando que seu grupo político sugeriu participação da chapa do Dirceu Cosma, como vice-presidente, e que ao definir procurar o representante da chapa acabou adoecendo em razão do excesso de trabalho na preparação de um espetáculo infantil de balé. “Quando fui procurar ele tinha já protocolado a chapa”.

Ao conversar com a imprensa, Dirceu avaliou ter recebido os votos com muita responsabilidade e que pretende estar à frente do Legislativo luverdense com essa mesma preocupação, em atender os anseios populares. “Sei do meu compromisso e sei do que posso fazer e sei do que eu consigo fazer”, antecipou, citando que é um processo natural o relacionamento com os demais poderes.

“A primeira coisa é que eu tenho que fazer é cumprir a lei. Se eu cumprir, eu tenho certeza que todos os projetos vão tramitar. Então eu não ser e fazer as coisas erradas à margem da lei. O meu objetivo é cumprir a lei, cumprir o Regimento Interno. Eu tenho certeza que as coisas vão dar certo, é esse meu sentimento, é isso que eu quero fazer, porque eu vou ser o juiz dos vereadores e eu sendo o juiz, eu tenho que ser o conciliador de todos os colegas”.

O presidente da Câmara considerou normal o processo eletivo. Mano disse que as disputas e conversações durante a definição dos vereadores são até comuns, principalmente porque os envolvidos não entram nesse tipo de disputa apenas para concorrer, mas ‘brigam’ pra vencer. “A questão de se abster do voto é o entendimento dos nossos colegas vereadores, eu vou respeitar opinião deles, até porque faz parte do processo… É importante pensar no município, pensar na sociedade como um todo, e eu tenho certeza que essa Mesa Diretora fará um grande trabalho, não faço parte da Mesa, mas vou acompanhar junto os trabalhos”, concluiu.

Fonte Expresso MT

Comentários